Presente da Aly

Presente da Aly
Lindo! Lindo.

DICAS

Caro leitor ao visitar o blog, seja mais curioso, visite-o com mais curiosidade, nunca leia apenas o texto que encontrar primeiro, muitas vezes logo abaixo você encontrará textos mais interessantes, além disto existem informações sobre o (a) escritor(a) que lhe poderão serem informações valiosas.
Obrigada pela visita e deixe seu comentário.
Volte sempre.
Íris Pereira

Solidão e estilo de vida, exemplo de dignidade.II

Uma viagem energizadora.
Coloquei meu vestido esvoaçante de tecido transparente de cor verde claro com flores miúdas, coloquei meu chapéu de abas largas pra proteger-me do sol e também pelo charme que eu ficava, soltei meus cabelos loiros ainda em cachos, causei meus sapatos de saltinhos e fui pegar o trem, ouvindo seu apito de longe apertei os passos, ia só a passeio como fazia há 5 anos desde que pra lá me mudei, comprava a passagem de véspera e mal conseguia dormir a espera do amanhecer, nem tomava café, pois tomaria no trem, era uma das gostosuras que se podia apreciar nesta viagem, mas realmente toda a paisagem era de se encantar, não sei como pude viver todos meu anos sem conhecer esse passeio, sem viver essa vida , sem vir morar em Santa Maria do Carmo que até viajem de trem eu posso fazer. Vou pela manhã, o tem passa as 6 horas da manhã, e volta as 6 da noite. O percurso até a próxima estação onde ficarei são de 140 KM de pura beleza, morros e cheios de árvores floridas, estamos na primavera, cachoeiras vejo ao lado direito deixando suas águas espumantes descerem mais parecendo um véu de noiva. do lado esquerdo esquerdo vejo um campo com plantas pequenas e rasteiras, capim, crescem em todo sua extensão, como é lindo esse estado de minas, como sou feliz aqui e como vivo com a alegria e felicidade de poder escolher o que quero e onde quero ir, como é bom ser livre. A liberdade do ir e vir sem desrespeitar e sendo respeitada. Duas horas de viajem e chego ao meu destino: Uma cidade turística, muitas pessoas visitam em finais de semana , porem eu costumo visitá-la no meio da semana, para não encontra velhos e indesejáveis conhecidos. Vou para me embelezar com as paisagens e curtir os rituais variados de energização espalhados pela parte alta da cidadezinha. É tudo muito mágico e se saí de lá como se fora realmente energizada por pessoas de outra dimensão. Fico horas sentada no chão observando tudo, não perco nada do que posso ver. E gravo em minha mente tudo com muito cuidado, pois é importante e indescritível o que sentimos na lugar. Vou depois ao um pequeno centro de feirinha onde vendem de tudo, todo tipo de lembranças e coisas energizadas. Antes de comprar algumas coisas vou almoçar em um restaurante tipicamente mineiro. Que delícia de comida. Os mineiros alem de bom hospedeiros são boas cozinheiras. Depois do almoço descanso em uma rede que fica à disposição dos fregueses que almoçam lá. Fico na rede e chego a tirar um cochilo, quase sonho, mas a realidade me chama, preciso comprar coisas para aproveitar a viagem e levar para a banca Íris Horizonte. Desço e vou a feitinha, realizo minhas compras e já pego um carro para levar-me até a estação. 
Logo ouço o apito do trem...Retorno a minha pequena cidade e à minha rotina maravilhosa. Rotina que não cansa nem aborrece pois estou sempre fazendo algo novo. Por último estou em um curso de violão, não canto bem, mas não estou nem aí, o importante é fazer o que quero, solto a voz e o ritmo o violão solta comigo.
Estou feliz em minha nova morada e meu estilo de vida.
Íris Pereira.


3 comentários:

Paulo Laurindo disse...

A nova vida da Iris Horizonte está se tornando um verdadeiro idílio.

Iris Pereira disse...

Dedico este texto ao poeta varzealegrense Israel Batista, que passou por cima da solidão tomou uma brava atitude e vai está caminhado agora ao lado de uma pessoa maravilhosa.
Iris Pereira

israel batista disse...

é verdade, mas leia o meu poema sementes da solidão que mostra um cara desiludido obrigado pela dedicação abraços

Sobre a Autora

Minha foto
Ribeirão Preto, SP, Brazil
3 partes de uma mulher: Maria da qual escrevo seu passado, seus sentimentos e suas verdades. Irismar já sem a Maria, companheira, amante, irmã, mãe, avó, sogra e amiga. Finalmente Iris a parte que reflete sobre as duas e tenta escrever o que descobre entender destas duas mulheres que são tão diferentes.

Seguidores