Presente da Aly

Presente da Aly
Lindo! Lindo.

DICAS

Caro leitor ao visitar o blog, seja mais curioso, visite-o com mais curiosidade, nunca leia apenas o texto que encontrar primeiro, muitas vezes logo abaixo você encontrará textos mais interessantes, além disto existem informações sobre o (a) escritor(a) que lhe poderão serem informações valiosas.
Obrigada pela visita e deixe seu comentário.
Volte sempre.
Íris Pereira
    Eu não gosto de época de natal, tenho um motivo muito triste que lembro de quando tinha 9 anos, mas eu já deveria ter superado  isto, no entanto a cada amo que passa mais vou ficando mais triste e sem ânimo para as manifestações de alegrias das pessoas. Sinto vontade de me isolar e ficar só em um lugar afastado e sem ninguém por perto.
   Não sinto pena, tristeza, arrependimento, não sei explicar o que sinto, mas geralmente por estes dias eu calada,pensativa e me sinto extremamente só, ninguém preenche este vazio que só vai aumentando a cada ano.
   Lembranças chegam à minha cabeça em turbilhões, fazem uma misturada danada, fico muitas vezes até tonta.
Chegam até as mais antigas lembranças, desde minha menor infância até a pré adolescência quando se acentuou mais ainda este estado de desanimo e tristeza.
    Neste ano me senti deveras derrotada, mais que todas as vezes passadas, também pudera, fui tão derrotada, roubada, me tiraram tanto.  Perdi até demais para quem já tinha pouco. Bom isto poderia ter acontecido em meio do ano, mas não foi justamente tudo neste período tão alegra para a maioria. Ainda bem que minha tristeza é somente minha.
   Fiquei tão aborrecida este mês em especial, que briguei com metade dos meus amigos e justo os que mais gosto. Em geral eu aguemnto todo tipo de desaforo, deboche, descaso, mas estou tão sensível que dei o troco, fui mal criada e respondi mal pra todos eles. E querem saber? Mesmo morrendo de saudades não cou pedir desculpas, muito embora neste momento o que eu queria era estar com a cabeça em seus ombros e ouvindo muitos mimos.
   Sou assim, essa é a verdadeira Írismar.
   Eu gostaria de estar lá naquela casinha de sapé embaixo do jatobazeiro lá na malhada dos Britos...
   Este é só um desabafo para quem de fato vai entender melhor do que eu o que se passa comigo.
   Maria Írismar Pereira de Sousa, simples assim

7 comentários:

Paulo Laurindo disse...

Não tenho a menor paciência com o Natal. No fundo, penso que esta comemoração deveria ser em forma de retiro. Cada um deveria procurar se isolar, refletir muito sobre si mesmo... quem sabe voltaríamos melhor.
Um grande abraço.

Antonio Correia Lima disse...

No meu caso, amiga Irismar, não tenho queixa de nenhuma data comemorativa, nem mesmo do meu aniversário, mas prefiro os dias normais. Inclusive, recebí uma bronca da amiga por ter esquecido que hoje foi seu aniversário.
.Gostei da image,me fez lembrar a casa de Luiz e Jorge, do Juá

José María Souza Costa disse...

Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Natal agradável, harmonioso e com sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Arcoiris No Horizonte disse...

Meu rei, obrigada por ter vindo me apoiar neste dia.
Espero que os dias sejam normais e que o 12 meses seguintes sejam tão bons no que foi bom e tão melhores no que não foi bom.
Um forte abraço.
íris

Arcoiris No Horizonte disse...

Antonio meu amigo incondicional.
Você é sim indiferente às datas comemorativas, inclusive despertou para a do dia dos pais porque eu lhe incentive, lembra, quanto ao niver DA SUA AMIGA, não precisava falar nadam dispenso qualquer comentário sobre.]
Ha a casa do Tio Luiz tinha calçada alta, mas parece sim.
Novê sabe, tem certeza como fico quando me visita, então não lhe direi nada.
Um forte abraço.
Eu a de sempre, simples assim.

Arcoiris No Horizonte disse...

Senhor José Maria, diz que ninguém o enviou visitar-me, sabe amigo, todos nossos bons atos alguém está sempre nos mandando fazer, alguém está sempre nos indicando e falando conosco, nós é que não prestamos atenção e não o vemos nem o ouvimos.
Agradeço-lhe de coração por ter vindo.
Um forte braço
Íris Pereira.

Valdir Nazareth disse...

Não se preocupe Íris temos nossos dias de desânimo e parece que as vezes queremos brigar com o mundo.
Amigos de verdade esquecem.
Você é uma pessoa que se entrega realmente às amizades, mesmo as virtuais, então acaba querendo levar a sério demais. Seja realista.
Seu texto está ótimo, um excelente desabafo.
Valdir Nazareth

Sobre a Autora

Minha foto
Ribeirão Preto, SP, Brazil
3 partes de uma mulher: Maria da qual escrevo seu passado, seus sentimentos e suas verdades. Irismar já sem a Maria, companheira, amante, irmã, mãe, avó, sogra e amiga. Finalmente Iris a parte que reflete sobre as duas e tenta escrever o que descobre entender destas duas mulheres que são tão diferentes.

Seguidores