Presente da Aly

Presente da Aly
Lindo! Lindo.

DICAS

Caro leitor ao visitar o blog, seja mais curioso, visite-o com mais curiosidade, nunca leia apenas o texto que encontrar primeiro, muitas vezes logo abaixo você encontrará textos mais interessantes, além disto existem informações sobre o (a) escritor(a) que lhe poderão serem informações valiosas.
Obrigada pela visita e deixe seu comentário.
Volte sempre.
Íris Pereira

Homenagem aos meus pais: Mamoel, Raimundo e Dalcir.

3 árvores unidas pela mesmo objetivo
          Sou privilegiada ou azarada? Até hoje não entendi a brincadeira que o destino fez comigo, nasci em uma família pobre, em um sitio por nome Paumeirinha dos Britos, distrito de Crato-Ce. Uma família nada normal,  para os conceitos exigidos pela sociedade, mas isto agora não vem ao caso, pois o fato é que quero fazer uma homenagem ao meu pai, mas eu continuo com a mesma pergunta de alguns anos atrás:  Homenagear qual deles?
É isto mesmo, qual dos três? Azar ou sorte? Enquanto pessoas não tem nenhum, eu fui beneficiada da seguinte maneira: Fui registrada por Manoel Pereira de Souza, que ficou muito orgulhoso por ser pai de uma menina depois de ter perdido algumas filhas ainda pequenas e terem sobrevividos apenas dois filhos homens, na ocasião já com 8 e 15 anos, foi alegria pra todos, mesmo sendo pobres o nascimento de uma linda menina veio trazer algo novo pra familia Pereira, porém alguém ficou triste e insatisfeito com esse nascimento, o jovem Dalcir que sabia com toda certeza que era o pai da menina, revoltou-se, apelou para o bom senso da mãe Josina que contasse a verdade e lhe entregasse a pequena para ser criada por ele, depois de tantas brigas e desavenças, nada podendo fazer ele desistiu, mas ficou procurando acompanhar de perto o crescimento da criança. Pediu então ter o direito de escolher a madrinha e o nome da filha, sendo então atendido deu-me por madrinha, sua irmã Lió e o meu nome ele escolheu, Irísmar, um nome que me agrada muito.
Mas o destino novamente meteu-se em meu caminho, levou em morte o meu pai de registro,  morre o Manoel Pereira de Souza, fiquei órfã de pai.
Quiz então o Dalcir casar-se com minha mãe e assim criar sua filha com todo direito que lhe caberia, mas a danada da viuva já estava esquentando o lugar do morto com um homem mais moço por nome Raimundo Correia Lima e assim toda apaixonada em menos de 6 ( seis ) meses estava casada e eu com um padrasto. Em meus dois ( 2 ) anos apenas, tantas mudanças passando, nada entendia , sabia que morreu meu pai, ganhei outro pai, mas não sabia chamá-lo papai e o chamei de padunda. Ele fora de fato um pai, bom , respeitoso, colocou sempre a verdade nua e crua das coisas, no relacionamento entre ele e o restante da família, meus irmãos não foi assim harmonioso, mas não vem ao caso agora, tive então um segundo pai. Aos 11 anos tive então a confirmação do Dalcir ao contar-me toda história que ele era meu pai verdadeiro, que confusão! Minha cabeça dava voltas querendo entender, mas fiquei contente pois gostava muito dele, achava até um gostar exagerado, só explicado neste momento o porque de tanto afeto. E ai? Como ficaria a situação, continuou do mesmo modo, nada mudou, continuei encontrando-me as escondidas com ele sempre nas férias que ia passar em Ponta da Serra.
Fui então privilegiada por ser premiada com três ( 3 ) pais.
Quero então no dia 08 de agosto homenagear esses três homens que fizeram minha história, participaram dela, ajudando-me a ser a Írismar que sou hoje.
Já não tenho presente em minha vida os dois que conviveram por mais tempos juntos comigo, pois foram levados pro outro plano de vida. Tenho e conto com meu pai biológico que nunca me deixou, mesmo eu estando sempre longe dele, separada por grandes distancias estamos sempre perto pelo amor e consideração, quero homenagear mais atenciosamente Dalcir Siebra por nunca ter negado ser meu pai e sempre mostrou-se orgulhoso por ter-me como filha.
Obrigada pai por ter estado sempre me apoiando quando precisei de palavras sábias que só um pai sabe dizê-las.
Apesar de todo tumulto que foi nossa convivência, posso dizer de todo coração o amor que tenho por você é de filha.
Te amo pai Dalcir e tenho orgulho de ser sua filha.
E pra lhe homenagear assinarei com o nome que o destino roubou de mim por direito:
Maria Írismar Alves Brito ( Íris Reflete )

7 comentários:

Maria Amélia Castro disse...

Iris,

Sou do Crato, moro em são Paulo há anos, sempre estou lendo os blogs, o Cariricaturas e assim vai, matando um pouco de saudades.
Adorei seu texto, mostra muito bem o quanto você é uma pessoas forte e resolvida.Parabens e continue assim.Nós sertanejas temos algo mais.
abraços
Maria Amelia

Iris Pereira disse...

Ho! Menina, você não imagina como me deixou feliz por sua presença em meu blog.Sinta-se pisando em um tapete vermelho, assim que recebo meus visitantes e pra você abro a porta de minha casa virtual, para maiores contatos. Tb adoro ler blogs.
Contate-me iriscrato@hotmail.com.
Um sincero abraço de agradecimento
Íris Pereira

Paulo Laurindo disse...

És mesmo uma privilegiada. Não pelos três pais que tiveste mas, pelo carinho que nutres por todos eles.

Iris Pereira disse...

Amigo Paulo,
Sou de fato uma pessoa com muita sorte e o mínimo que eu poderia ter aprendido na vida era o sentimento de gratidão.
Tive chance o bastante de aprender ser uma pessoa forte, grata e afetuosa.
Agradeço de coração sua atenção com meus textos tão simples e sem conhecimentos didáticos.
Um abraço
Íris Pereira

joão alberto lupin disse...

íris, você tem tres ótimos motivos para comemorar o dia dos pais.
os bons exemplos passados por nossos pais são o que de melhor nos é legado por eles.
salve seus pais!
salve você!
abraços.

Antonio Correia Lima disse...

Olá amiga Irismar, como já te falei, sou desligado de datas comemorativas, mas quero dizer que gostei bastante do texto e já copiei pro Blog da Ponta da Serra.
Um forte abraço

Stela disse...

Oi Iris,
que bela homenagem! gosto da forma espontânea como você escreve, expressando tão bem seus sentimentos.
Parabéns.
Stela

Sobre a Autora

Minha foto
Ribeirão Preto, SP, Brazil
3 partes de uma mulher: Maria da qual escrevo seu passado, seus sentimentos e suas verdades. Irismar já sem a Maria, companheira, amante, irmã, mãe, avó, sogra e amiga. Finalmente Iris a parte que reflete sobre as duas e tenta escrever o que descobre entender destas duas mulheres que são tão diferentes.

Seguidores